DETETIVE CONTRA VÍRUS DA DÚVIDA

DETETIVE CONTRA VÍRUS DA DÚVIDA

COVID-19 (do inglês Coronavirus Disease 2019) é uma doença causada por coronavírus da síndrome respiratória aguda grave (SARS-CoV-2).Os sintomas mais comuns são febre, tosse e dificuldade em respirar,  Cerca de 80% dos casos confirmados são ligeiros ou assintomáticos e a maioria recupera sem sequelas.No entanto, 15% são infecções graves que necessitam de oxigênio e 5% são infeções muito graves que necessitam de ventilação. Os casos mais graves podem evoluir para pneumonia grave com insuficiência respiratória aguda, falência de vários órgãos e morte.

A doença transmite-se através de gotículas produzidas nas vias respiratórias das pessoas infetadas. Ao espirrar ou tossir, estas gotículas podem ser inaladas ou atingir diretamente a boca, nariz ou olhos de pessoas em contacto próximo. Estas gotículas podem também depositar-se em objetos e superfícies próximos que podem infetar quem nelas toque e leve a mão aos olhos, nariz ou boca, embora esta forma de transmissão seja menos comum. O intervalo de tempo entre a exposição ao vírus e o início dos sintomas é de 2 a 14 dias, sendo em média 5 dias. Entre os fatores de risco estão a idade avançada e doenças crônicas graves como doenças cardiovasculares, diabetes ou doenças pulmonares. O diagnóstico é suspeito com base nos sintomas e fatores de risco e confirmado com ensaios em tempo real de reação em cadeia de polimerase para detecção de ARN do vírus em amostras de muco ou de sangue.

Entre as medidas de prevenção estão a lavagem frequente das mãos, evitar o contacto próximo com outras pessoas e evitar tocar com as mãos na cara. A utilização de mascaras cirúrgicas é recomendada apenas para pessoas suspeitas de estar infetadas ou para os cuidadores de pessoas infetadas, mas não para o público em geral. Não existe vacina ou tratamento antiviral específico para a doença. O tratamento consiste no alívio dos sintomas e cuidados de apoio. As pessoas com casos ligeiros conseguem recuperar em casa. Os antibióticos não têm efeito contra vírus.

O SARS-CoV-2 foi identificado pela primeira vez em seres humanos em dezembro de 2019 na cidade de Wuhan, na China. Pensa-se que o SARS-CoV-2 seja de origem animal. O surto inicial deu origem a uma pandemia global que à data de 20 de março de 2020 tinha resultado em 259 314 casos confirmados e 11 286 mortes em todo o mundo. Os coronavírus são uma grande família de vírus que causam várias doenças respiratórias, desde doenças ligeiras como a constipação até doenças mais graves como a síndrome respiratória aguda grave (SARS). Entre outras epidemias causadas por coronavírus estão a epidemia de SARS em 2002-2003 e a epidemia de síndrome respiratória do Médio Oriente (MERS) em 2012.

ESTAMOS EM GUERRA

ESTAMOS EM GUERRA!

ESTAMOS EM GUERRA, pra Bureau Investigações significa iniciar um 2020 com toda artilharia pronta para conquistar o sucesso. Nossa equipe esta muito bem preparada e com todas as armas possíveis prontas para as batalhas que vierem. Leia mais

“WhatsApp é grande vilão em casos de traição”, diz detetive particular.

A infidelidade não é novidade para ninguém, mas as redes sociais tornaram ainda mais acessível e aumentaram a busca por investigadores.

Já diria Marília Mendonça: “Iêê / Infiel / Eu quero ver você morar num motel / Estou te expulsando do meu coração / Assuma as consequências dessa traição”. A infidelidade dentro de relacionamentos não é algo novo, mas nunca foi tão fácil “pular a cerca” e, por isso, a procura por profissionais para identificar casos de adultério tem crescido, especialmente na era das redes sociais.

 

 

Uma das principais influências nesse aumento de demanda é exatamente a popularidade dessas mídias, nas quais é possível trocar mensagens e likes, o que pode facilmente levantar suspeitas sobre parceiros e parceiras. Plataformas como WhatsApp, Tinder e Instagram são as que causam maior desconfiança, segundo investigadores particulares de Brasília.

 

 

Detetive privado há mais de uma década, Sérgio Barros afirma que muitas pessoas o procuram por causa de alguma suspeita relacionada ao WhatsApp e demais redes. “Hoje em dia, cerca de 70% dos casais têm o smartphonebloqueado, e isso automaticamente cria desconfiança – porque, se há senha, deve ter algo que um não quer revelar ao outro. Esse fato gera perturbação até a pessoa vir contratar o detetive particular. O WhatsApp é o principal vilão, na minha opinião”, esclarece o profissional, à frente do Departamento de Investigação Particular (DPI).

 

Com quase duas décadas de profissão, o detetive Júnior Monteiro percebe o mesmo padrão. “As redes sociais tiveram um grande impacto na profissão porque as plataformas digitais facilitam a pulada de cerca. Com toda essa conectividade e a exposição visual das pessoas, há mais desconfiança”, argumenta.

As pequenas atitudes são essenciais para despertar a curiosidade. Um dos casos que Sérgio destaca é o de uma cliente que, ao suspeitar da traição do marido, começou a acompanhar cada ação dele no Instagram.

Ele curtia e comentava todas as fotos da suposta amante na plataforma. Ela instalou uma escuta no carro do companheiro e, assim, descobriu que realmente estava sendo traída. Através dos detalhes é possível descobrir as coisas grandes.Quem mais procura o serviço, segundo o investigador Barros, são as mulheres (entre 55% e 60% do total), e a faixa etária mais comum entre os clientes é de 28 a 50 anos. Ele ainda afirma que, muitas vezes, as pessoas já sabem que estão sendo traídas, mas desejam provas, seja para expor à família e mostrar o que deu errado no relacionamento ou para conseguir benefícios no processo de divórcio. Em 70% dos casos, a traição é confirmada, diz o profissional. “Cerca de apenas 3% se separam após o flagrante”, diz Monteiro.

Outro grupo que usa e abusa do serviço é formado por pessoas prestes a casar e noivar. “Geralmente são pessoas de alto poder aquisitivo que querem confirmar a fidelidade do parceiro ou da parceira antes de firmar um compromisso a longo prazo”, aponta Sérgio. O valor médio de um pacote de 10 dias de investigação varia de R$ 5 mil a R$ 10 mil.

Flagrantes, confrontos e sigilo

Uma das atitudes mais comuns, de acordo com Barros, é confrontar o outro antes de buscar ainvestigação profissional. Para o especialista, a iniciativa atrapalha em vez de ajudar. “Ao questionar, você alerta o investigado, ele vai ficar mais cauteloso e será mais difícil flagrá-lo”, aconselha.Outra questão importante levantada pelo detetive é que, apesar de o WhatsApp ser a grande fagulha das desconfianças, é impossível ter acesso às mensagens compartilhadas na rede social, a menos que os clientes tenham acesso aos aparelhos físicos utilizados pelos investigados. “As conversas são criptografadas. Uma alternativa cada vez mais comum é o cliente presentear o parceiro ou a parceira com um novo celular e enviar o item antigo para ser totalmente vasculhado”, revela.

Traição e fama 

E se é difícil lidar com uma traição sendo apenas um “civil”, imagina quando se é famoso e possui milhares de seguidores? No começo do ano, uma crise que balançou o entretenimento brasileiro tinha a ver com um escândalo de traição. José Loreto foi acusado de ser infiel à esposa, Débora Nascimento. A situação teria sido descoberta pela atriz por meio de mensagens que o marido teria trocado está longe de ser o único exposto pelo celular. O ex-marido de Khloé Kardashian, Lamar Odom, usava o telefone da assistente dele para entrar em contato com os affairs. Eventualmente, a influenciadora descobriu a infidelidade e se divorciou dele em 2013.

Outra personalidade que viveu o drama da traição foi Mileide Mihaile. Enquanto estava com Wesley Safadão, ela rastreou o celular do então companheiro. O que ela descobriu? Que o parceiro estava em um motel, acompanhado da amante na época e atual esposa, Thyane Dantas.

Por que as pessoas traem?

As redes sociais facilitaram tanto a traição que surgiram plataformas exclusivas para pessoas com a intenção de trair. É o caso do site Ashley Madison, que possui 60 milhões de cadastros e 8,9 milhões brasileiros associados. Segundo pesquisa da plataforma, 71% dos adúlteros afirmaram que o tédio em seu relacionamento os levou a trair. Ainda, mesmo que a infidelidade fosse descoberta, 67% apontam que continuariam a ter um caso. Para a maioria dos homens que responderam o questionamento, a emoção de estar com outras pessoas é o principal motivo da traição.

Apesar dos dados divulgados, o psicólogo e consultor em abordagem sistêmica Iuri Crema ressalta a importância de não generalizar pessoas ou relacionamentos. Na maioria dos casos, de acordo com o profissional, o que leva à infidelidade é um desequilíbrio entre o casal. “Talvez um dê mais do que recebe nas tarefas domésticas. A existência de muito ciúme também pode gerar um excesso de controle e sensação de pouca liberdade”, conta.

A partir disso, a dinâmica do par começa a gerar estresse e, consequentemente, leva à insatisfação e incerteza sobre a relação. “Quando alguém chega a esse ponto, mas não sabe como terminar – não tem confiança no que deseja ou se está preso a fatores de conforto, estabilidade e comodismo construídos no relacionamento –, pode surgir a abertura para experimentar outras aventuras. Se a pessoa vai buscar isso intencionalmente ou se ocorre em algum contexto oportuno, varia em cada caso”, aponta.

Pessoas que se sentem aprisionadas podem tender a encontrar escapes, mesmo que ainda estejam, ao menos oficialmente, dentro de um relacionamento. Parceiros escolhidos por motivos superficiais, como beleza, também não resistem bem ao passar do tempo

Caso o par decida se separar depois de uma traição, o término pode ser doloroso, mas é possível superá-lo. A dica de Iuri é se cercar de pessoas amorosas, como amigos e familiares, e respeitar o momento de luto pelo fim da relação. “Pode ser importante também, se o sofrimento ganhar uma proporção que pareça fugir do controle, procurar ajuda profissional qualificada”, reforça.

Outro conselho relevante é, depois do período de luto, não se apegar ao passado ou ao papel de vítima injustiçada. “Adotar uma postura de vingança e autodestruição pode ser uma tentativa de combater a dor com mais dor, o equivalente a tentar apagar um incêndio com mais gasolina.”

Os 5 equipamentos mais utilizados por um detetive particular.

Detetive Particular.

Conheça os 5 equipamentos utilizados por

um detetive particular.

A primeira diferença é que detetives profissionais utilizam apenas equipamentos e métodos legais para realizar suas buscas. Eles jamais lerão as correspondências, colocarão grampo no telefone ou entrarão na casa do investigado em busca de evidências para seus casos, pois isso é crime. Invadir as redes sociais também é ilegal.

Eles também não atuam em dupla. Embora sejam contratados para uma agência que conta com vários investigadores, a figura do braço direito e parceiro do detetive é praticamente inexistente. Dependendo do tamanho do caso, mais de um detetive pode fazer a investigação, mas eles não agem juntos, apenas coordenados, e sempre há um único profissional encarregado desse tipo de operação.A mudança mais perceptível em relação aos detetives que estão atuando no mercado é que eles utilizam cada vez mais aparelhos tecnológicos para cumprir a tarefa. As lupas, por exemplo, foram trocadas por modernos laboratórios de análises que nem sempre precisam ser usados, já que os mistérios podem ser resolvidos muito antes com o auxílio de:

VEÍCULOS

É muito importante que o detetive particular possua um veículo para se deslocar rapidamente atrás de seus alvos. Ele pode usar um carro ou uma moto, desde que sejam discretos para evitar chamar a atenção, principalmente se o investigado está sendo seguido no trânsito pelo profissional. O meio de transporte pode ser mudado periodicamente ou se houver alguma suspeita por parte do investigado para que o trabalho realizado até então não seja comprometido.

CÂMERAS

As câmeras estão cada vez mais potentes para capturar imagens, seja em fotos ou em vídeos. Os detetives têm à disposição câmeras fotográficas, câmeras de vídeo, micro câmeras e até mesmo drones capazes de registrar tudo o que está acontecendo a partir de diversos ângulos, inclusive nas alturas.Embora as câmeras sejam aliadas dos investigadores, há certas limitações: no caso de um detetive conjugal, por exemplo, não é permitido fotografar ou filmar o investigado durante a relação sexual, pois isso configura-se em invasão de privacidade.

GPS

O rastreamento de veículos por um sistema de GPS é uma tática muito comum usada pelos detetives. Basta instalar um pequeno aparelho em uma parte do carro que não seja muito visível pelo ocupantes do automóvel para que o investigador tenha acesso à localização do investigado a qualquer momento. Isso evita que o detetive o perca de vista durante uma perseguição e implica em um encontro mais rápido caso a tarefa tenha sido interrompida.

ESCUTAS

É um equipamento que já foi visto em filmes de ficção científica, e que agora está disponível para uso dos detetives. Funciona, basicamente, com a inserção de um chip de celular. O detetive só precisa deixá-la preparada para colocar em um local discreto no carro, na casa ou na sala de reunião da pessoa que está sendo investigada e fazer uma ligação para o número do chip para ouvir tudo o que está sendo dito no local. Alguns modelos são tão tecnológicos que são capazes de registrar horas de gravação na memória.

Disfarces

SIM eles ainda usam disfarces, mas nada de óculos e bigodes falsos! O objetivo de um detetive é se parecer ao máximo com uma pessoa comum. Muito usada em casos de contraespionagem, o disfarce permite, por exemplo, que o investigador tenha acesso ao interior das empresas se passando por um entregador de refeições ou que converse em mais de uma ocasião com a mesma pessoa sem ter a sua identidade revelada, obtendo informações fundamentais para o caso.

Detetive Particular parabéns pelo seu dia.

Detetive Particular parabéns pelo seu dia!

Detetive Particular parabéns, comemorar, celebrar, recordar, festejar, memorar, não importa o termo que se dê. O significado é o mesmo: lembrar um evento, uma data ou uma situação importante. Leia mais

FILHOS NA INTERNET

FILHOS NA INTERNET, em tempos de interação frenética, acesso à informação facilitada e troca de dados, pais de todo o mundo, se perguntam como aumentar seu controle sobre o conteúdo on-line acessado por seus filhos e, com isso, preveni-los de abusos como o bullying virtual e assédios como a pedofilia, outras preocupações também, como as drogas, os jogos virais, cada vez mais frequentes nas redes.

Mais de 24 milhões de crianças e adolescentes têm acesso à internet no Brasil e 77% deles assistem a vídeos online.

Todos conhecemos as diversas vantagens da Internet, especialmente para quem nasceu nos anos 90 ou anteriormente.

No entanto, da mesma forma que encontramos benefícios, como acontece em todos os cenários onde estão os seres humanos, também há riscos.

Apesar de tantos atrativos, a internet não deve ser utilizada sem um monitoramento dos pais.

A internet é um dos principais meios de comunicação e aquisição de informações dos jovens. Um meio ágil, de acordo com o ritmo da sociedade moderna, que busca rapidez e facilidades através de contatos globalizados e instantâneos.

Crianças e adolescentes possuem, de modo geral, intimidade com o modo de funcionamento de um computador, ou celular e da própria internet, conseguem satisfazer seus desejos e suas necessidades com muita facilidade.

As crianças têm acesso à internet desde muito cedo, inclusive nas escolas. Nos tempos de hoje, isso se torna inevitável. O que deve ser observado não é a idade da criança, mas sim o que é visto. Todo o conteúdo deve ser sempre adequado a cada faixa etária e o tempo deve ser controlado.

Lembre-se que na Internet você nunca pode ter certeza sobre com quem você está conversando. Infelizmente, muitas pessoas mentem e alguém que se diz ser uma criança pode na verdade ser um adulto perigoso.

Nada substitui uma conversa sincera e alguns esclarecimentos dos porquês de tanto cuidado quando o assunto é internet e a intrínseca navegação por sites,  além disso, é preciso tomar alguns cuidados, já que é dever dos pais proteger seus filhos.

Para identificar se há abuso na utilização da internet, os pais devem observar se esse uso está dificultando outras atividades do filho, como o desempenho escolar e o contato social, ou causando algum outro tipo de malefício.

Uma tarefa por vezes difícil, mas de suma importância para garantir sua segurança.

Os filhos se espelham nas atitudes dos pais para criar uma rotina de comportamento.

Por isso, crianças e adolescentes cujos pais passam muito tempo na internet, tendem a não ter noção do tempo gasto no computador, ou celular. É importante que os pais também estejam atentos ao próprio uso da internet, com cuidado com o que desejam transmitir aos filhos.

Os pais devem estar atentos às atividades dos filhos, porém a privacidade deve ser respeitada, levando em consideração a idade da criança. É claro que uma criança de sete ou oito anos não deve ter livre acesso ao conteúdo da internet, e um monitoramento mais próximo é apropriado.

Um bom modo de controlar o conteúdo que as crianças têm acesso sem invadir sua privacidade é deixar o computador em lugar em que todos os membros da família passam, como a sala ou um corredor por exemplo.

O diálogo é fundamental na relação entre pais e filhos. Os pais devem explicar aos filhos o tipo de conteúdo que querem que seu filho tenha acesso e o tipo de conteúdo e pessoas que devem evitar.

Quando a criança estiver acessando a internet, os pais ou algum responsável, devem estar presentes, participando e observando o que ocorre durante a navegação. Nesse momento, é importante que os pais vejam com o que seus filhos estão tendo contato e os orientem em relação ao que é certo e errado.

Quando a criança apresentar comportamento diferente (agressividade, mentiras, ansiedade, falta de sono ou apetite), quando não quiser mais que seus pais monitorem o que ela está acessando, quando mostrar-se desconfortável com a presença de alguém enquanto está na internet e quando não quiser fazer mais nenhum programa ou atividade fora do computador. Além da observação do comportamento, os pais devem estar sempre de olho nas conversas que estão participando e conteúdos que estão acessando.

COMO A BUREAU INVESTIGAÇÕES PODE LHE AJUDAR

Com nosso programa de proteção de celular, você transformará seu celular em um celular espião.

Além disso, existem programas e recursos nos computadores que permitem o monitoramento dos acessos e, até, do histórico de conversas com outras pessoas.

É muito importante que os pais monitorem os filhos. Nas redes sociais as crianças, e os adolescentes, tens um acesso a todo o tipo de conteúdo sendo eles (vídeos, fotos, textos, comentários), inclusive os inapropriados para a idade do mesmo.

Instalado no telefone você poderá ter acesso em diversas funcionalidade, rastrear um celular, gravar ligações , ver o WhatsApp, o Facebook, ter acesso a tela, sms, fotos, escuta ambiente, câmera de vídeo, de contatos, espião de Internet, Instagram, e várias outras funções incríveis que você só encontrará aqui na Bureau Investigações estamos no ramo da investigação a mais de 15 anos em Brasil PR.

Descubra se seu filho está usando drogas.

Hoje em dia, as drogas são uma das maiores preocupações dos pais.

Os jovens entre os 11 e 21 anos de idade, muitas vezes têm uma percepção distorcida do risco. Isso explica por que eles tendem a assumir comportamentos dos quais, depois de um tempo, se arrependem.

Esse período é caracterizado por experimentar e tentar permanecer na “mesma onda” de seus amigos.

A influência das amizades em cada jovem está intimamente relacionada ao ambiente em que se desenvolvem.

Muitos adolescentes e pais veem o uso de drogas como uma prática simples que eles irão abandonar um dia mais tarde.

Eles não assumem o risco de serem submersos nela por toda a vida, causando sérios problemas em sua vida pessoal e profissional, assim como em sua saúde em geral.  Hábitos saudáveis e não saudáveis tendem a ser mais duradouros quando adquiridos na adolescência, no que se refere tanto a fumo e bebida alcoólica quanto à prática de esportes e boa alimentação.

Os números que são tratados anualmente são alarmantes. Embora tenha sido generalizado que é “normal” que nestes tempos o jovem “experimente” tudo e não seja um viciado.

A adolescência é um estágio de rebelião em que o jovem pode se comportar de maneira incomum e não estar usando drogas.  Adolescentes, por definição, são ousados ​​e rebeldes.

Eles experimentam uma idade cheia de mudanças difíceis de enfrentar. Inicia o desenvolvimento do interesse sexual e a necessidade de pertencer e se identificar com seus pares. Os jovens não medem até que ponto a experimentação com drogas pode se tornar um problema sério.

Os pais, por outro lado, se recusam a aceitar que seu filho não esteja isento desse tipo de experiência. Portanto, tendemos a não nos preparar, sem saber como agir se isso acontecer.

A primeira coisa que devemos fazer é determinar se as atitudes irreverentes de nosso filho são devidas às mudanças hormonais típicas de sua idade, ou não. É essencial ver um pouco além do estágio difícil em que estão e verificar se o comportamento estranho se deve ao uso de drogas.

Como pais, devemos aprender a identificar se as mudanças de comportamento de nossos filhos correspondem ao seu desenvolvimento.

Aprenda a reconhecer esse comportamento para saber se seu filho está consumindo drogas. As mudanças no comportamento de um filho que usa drogas é muito óbvio para os pais que os conhecem, que suspeitam disso na mesma hora.

Dependendo sobre o tipo de drogas (estimulante ou relaxante) terá certas evidências. O importante é estar alerta, estar muito atento aos nossos filhos, ter consciência do que eles fazem, para onde vão, quem são seus amigos, com quem se relacionam. A comunicação diária e eficaz é a base para ficar perto deles e prevenir situações como vícios.

Aumenta acesso de jovens a álcool e drogas. Estados da Região Sul estão entre os que registraram maior índice de  consumo de álcool nos 30 dias anteriores à pesquisa – Rio Grande do Sul, 34%, e Santa Catarina, 33,8%, seguidos de Mato Grosso do Sul 31,2% e Paraná 30,2%.

Esta é uma das perguntas que os pais mais frequentemente fazem.

O usuário de drogas, na grande maioria das vezes, procura esconder seu hábito por mais claras que sejam as evidências.

Fará muitas promessas para parar e sempre negará que é um dependente químico.

Pais que conhecem bem os seus filhos, logo observaram modificações no comportamento destes, por motivo de ultrapassarem um padrão esperado de qualquer outro adolescente.

Responda as 10 perguntas em sua cabeça, e vejá se encaixa na vida cotidiana de seu filho.

1.  Passa a maior parte do tempo fora de casa?

2.  Vem apresentando seguidamente problemas na escola ou na rua?

3.  Briga com a maioria ou com todos na família?

4.  Troca o dia pela noite?

5.  Falta às aulas sem motivos justificáveis?

6.  Foge, mente e tem amizades problemáticas?

7.  Some com objetos de valor da família?

8.  Apresenta olhos vermelhos e irritados?

9.  Modificou exageradamente os hábitos alimentares?

10.  Sua roupa apresenta cheiros desconhecidos?

11.  Porta papéis, cachimbos, colírios?

Buscando informações para si mesmos, os pais poderão melhor ajudar os seus filhos. Lembre-se: usar drogas é um sinal de que algo não está legal e buscar ajuda é o melhor jeito de se obter respostas às muitas perguntas que surgem.

Fique de olho nesses sinais muito importante pra você entender um pouco o que se passa;

Físicos:

– Olhos avermelhados ou pupilas de tamanho anormal.

– Sangramentos nasais frequentes.

– Mudanças no apetite ou padrão de sono.

– Perda ou ganho súbito de peso.

– Convulsões sem história prévia de epilepsia.

– Deterioração da aparência física ou dos cuidados pessoais.

– Perda súbita do equilíbrio, aparecimento de machucados ou hematomas inexplicados.

– Odores não usuais no hálito, corpo ou roupas.

– Tremores, discurso incoerente, difícil ou sem coordenação.

Comportamentais:

– Perda frequente de aulas, piora importante do desempenho escolar ou da disciplina.

– Perda do interesse em atividades ou hobbies habituais, como a prática do esporte.

– Queixas por parte dos companheiros de trabalho, amigos ou professores.

– Desaparecimento frequente de dinheiro, objetos de valor, medicamentos.

– Roubo ou empréstimo frequente de dinheiro.

– Isolamento, desânimo, atitudes estranhas.

– Brigas familiares frequentes.

– Necessidade de maior privacidade, ato recorrente de ficar trancado ou a evitar contato olho a olho.

– Mudança brusca de relacionamentos, amigos ou grupo social.

– Frequentemente se metendo em confusões.

– Uso de incenso, perfume ou desodorizadores para esconder cheiro ou fumaça.

– Uso frequente de colírios para aliviar vermelhidão ocular ou pupilas dilatadas.

Psicológicos:

– Mudança não explicada do personalidade ou atitude.

– Mudanças bruscas de humor, irritabilidade ou ataques de raiva ou risos sem motivo.

– Momentos de hiperatividade ou agitação não usuais.

– Perda da motivação, incapacidade de concentrar-se, aparenta letargia ou que está “voando”.

– Aparenta medo inexplicado, retração, ansiedade, paranóia, sem razão aparente.

1. Preste atenção aos cheiros: As drogas, tal como cigarrilhas ou cigarro, têm um cheiro forte que se impregnam nas pessoas que as consomem, assim como em suas roupas. A estratégia utilizada pelos consumidores para evitar serem descobertos é aplicar repetidamente perfume, mascar chiclete e lavar as mãos de maneira exagerada.

2. Olhe para os seus olhos: Os olhos são indicadores muito claros de vícios. Cada droga em particular tem efeitos diversos. Por exemplo, a cannabis causa vermelhidão nos olhos e olhos sonolentos. Por outro lado, a cocaína e o ecstasy produzem dilatação das pupilas, com as quais os olhos se tornam muito abertos e os olhos muito arredondados.

3. Apresenta irritabilidade em excesso: As alterações hormonais em mulheres e homens geralmente causam alterações de humor, mas as geradas por drogas são frequentemente exageradas em comparação com as alterações comuns da idade. Os jovens se mostram mais irritáveis ​​e agressivos, especialmente quando não consomem drogas, porque o corpo está pedindo a droga. Eles se tornam solitários e tendem a se afastar especialmente dos pais, pois dessa forma podem consumir sem dar explicações.

4. Ele se tornou irresponsável: Um dos efeitos mais devastadores do vício é um mau hábito de largar tudo e começar a se interessar apenas pelo entretenimento. O jovem consumidor deixa de lado seus estudos e tudo o que requer comprometimento. Baixo desempenho escolar e evitar ocupar-se de tarefas que antes gostavam é motivo de alerta e pode indicar que seu filho está consumindo drogas.

O importante nessa hora é buscar diálogo franco, evitar qualquer tipo de agressão, cuidando para mostrar acolhimento e, por outro lado, total rejeição à droga.

Ao mesmo tempo, buscar orientação com pessoas de confiança, ou com quem lida com a dependência química como grupos de mútua ajuda, profissionais da área da saúde e centros de tratamento de maior prazo. E também alguém que ajude a acompanhar os passos do mesmo.

Jovens, pais e internet. Proteção dos filhos não é controle.

É fato que a internet mudou o mundo. Esta ferramenta oferece o acesso imediato a milhões de temas, facilita pesquisas, apoia a vida do estudante e traz grandes benefícios para o nosso dia a dia. No entanto, crianças e adolescentes precisam de monitoramento e acompanhamento para usufruir do mundo virtual com segurança.

Longe de pessoas mal-intencionadas, de drogas, do vício dos jogos online e da exposição ao cyberbullying.

Para isso, é importante que os pais estejam sempre atualizados, a fim de ter a habilidade para proteger os filhos dos riscos que a internet oferece. Ficar de olho na vida online dos filhos também ajuda no relacionamento com eles, pois permite conhecer hobbies, interesses e preferências, nem sempre evidentes ou conhecidos.

Teenage daughter looking at messages in a smartphone and ignoring her furious mother. Bad family communication concept by new technologies

Durante a navegação são deixados “rastros” na internet que permitem aos pais saber mais dos hábitos e opiniões dos filhos. Além disso, o cuidado e atenção dos pais vale tanto para saber se eles não sofrem ameaças na rede ou se não são causadores de divulgações incorretas.

Não existe segredo sem telefone, ou computador, não existe mentira e verdade sem o acesso a internet. Nada pior do que ser enganado por alguém da família. Não é invasão de privacidade, é cuidado, é amor. Os filhos veem de uma maneira exagerada, pois acham que os pais está passando dos limites, invadindo a sua privacidade. Já os pais como uma forma de cuidado, de proteção, uma maneira de ajudar os filhos. Os adolescentes  não sabem a imensidão do problema em que estão preste a ter em suas vidas.

INFIDELIDADE CONJUGAL

INFIDELIDADE CONJUGAL

INFIDELIDADE CONJUGAL

INFIDELIDADE CONJUGAL Cada vez mais frequente no cotidiano das pessoas porém, muitas vezes por medo ou falta de informações acabam deixando de lado, por isso Leia mais

Encontrada escuta eletrônica no gabinete do prefeito de Maringá

Encontrada escuta eletrônica no gabinete do prefeito de Maringá

foto 1

Uma escuta eletrônica foi encontrada no gabinete do prefeito de Maringá, Ulisses Maia (PDT). O sistema incluía espionagem por áudio e vídeo.
A descoberta aconteceu na quinta-feira da semana passada, no quarto dia útil de trabalho do prefeito.

Detetive Maringá – Trinck Bureau Notícias Empresariais.

Detetive Maringá – Trinck Bureau Notícias Empresariais.

Justiça do Trabalho aceita gravação de conversa entre gerente e diretor da empresa por viva-voz que demonstra humilhação de funcionária.

Leia mais