Descubra se seu filho está usando drogas.

Hoje em dia, as drogas são uma das maiores preocupações dos pais.

Os jovens entre os 11 e 21 anos de idade, muitas vezes têm uma percepção distorcida do risco. Isso explica por que eles tendem a assumir comportamentos dos quais, depois de um tempo, se arrependem.

Esse período é caracterizado por experimentar e tentar permanecer na “mesma onda” de seus amigos.

A influência das amizades em cada jovem está intimamente relacionada ao ambiente em que se desenvolvem.

Muitos adolescentes e pais veem o uso de drogas como uma prática simples que eles irão abandonar um dia mais tarde.

Eles não assumem o risco de serem submersos nela por toda a vida, causando sérios problemas em sua vida pessoal e profissional, assim como em sua saúde em geral.  Hábitos saudáveis e não saudáveis tendem a ser mais duradouros quando adquiridos na adolescência, no que se refere tanto a fumo e bebida alcoólica quanto à prática de esportes e boa alimentação.

Os números que são tratados anualmente são alarmantes. Embora tenha sido generalizado que é “normal” que nestes tempos o jovem “experimente” tudo e não seja um viciado.

A adolescência é um estágio de rebelião em que o jovem pode se comportar de maneira incomum e não estar usando drogas.  Adolescentes, por definição, são ousados ​​e rebeldes.

Eles experimentam uma idade cheia de mudanças difíceis de enfrentar. Inicia o desenvolvimento do interesse sexual e a necessidade de pertencer e se identificar com seus pares. Os jovens não medem até que ponto a experimentação com drogas pode se tornar um problema sério.

Os pais, por outro lado, se recusam a aceitar que seu filho não esteja isento desse tipo de experiência. Portanto, tendemos a não nos preparar, sem saber como agir se isso acontecer.

A primeira coisa que devemos fazer é determinar se as atitudes irreverentes de nosso filho são devidas às mudanças hormonais típicas de sua idade, ou não. É essencial ver um pouco além do estágio difícil em que estão e verificar se o comportamento estranho se deve ao uso de drogas.

Como pais, devemos aprender a identificar se as mudanças de comportamento de nossos filhos correspondem ao seu desenvolvimento.

Aprenda a reconhecer esse comportamento para saber se seu filho está consumindo drogas. As mudanças no comportamento de um filho que usa drogas é muito óbvio para os pais que os conhecem, que suspeitam disso na mesma hora.

Dependendo sobre o tipo de drogas (estimulante ou relaxante) terá certas evidências. O importante é estar alerta, estar muito atento aos nossos filhos, ter consciência do que eles fazem, para onde vão, quem são seus amigos, com quem se relacionam. A comunicação diária e eficaz é a base para ficar perto deles e prevenir situações como vícios.

Aumenta acesso de jovens a álcool e drogas. Estados da Região Sul estão entre os que registraram maior índice de  consumo de álcool nos 30 dias anteriores à pesquisa – Rio Grande do Sul, 34%, e Santa Catarina, 33,8%, seguidos de Mato Grosso do Sul 31,2% e Paraná 30,2%.

Esta é uma das perguntas que os pais mais frequentemente fazem.

O usuário de drogas, na grande maioria das vezes, procura esconder seu hábito por mais claras que sejam as evidências.

Fará muitas promessas para parar e sempre negará que é um dependente químico.

Pais que conhecem bem os seus filhos, logo observaram modificações no comportamento destes, por motivo de ultrapassarem um padrão esperado de qualquer outro adolescente.

Responda as 10 perguntas em sua cabeça, e vejá se encaixa na vida cotidiana de seu filho.

1.  Passa a maior parte do tempo fora de casa?

2.  Vem apresentando seguidamente problemas na escola ou na rua?

3.  Briga com a maioria ou com todos na família?

4.  Troca o dia pela noite?

5.  Falta às aulas sem motivos justificáveis?

6.  Foge, mente e tem amizades problemáticas?

7.  Some com objetos de valor da família?

8.  Apresenta olhos vermelhos e irritados?

9.  Modificou exageradamente os hábitos alimentares?

10.  Sua roupa apresenta cheiros desconhecidos?

11.  Porta papéis, cachimbos, colírios?

Buscando informações para si mesmos, os pais poderão melhor ajudar os seus filhos. Lembre-se: usar drogas é um sinal de que algo não está legal e buscar ajuda é o melhor jeito de se obter respostas às muitas perguntas que surgem.

Fique de olho nesses sinais muito importante pra você entender um pouco o que se passa;

Físicos:

– Olhos avermelhados ou pupilas de tamanho anormal.

– Sangramentos nasais frequentes.

– Mudanças no apetite ou padrão de sono.

– Perda ou ganho súbito de peso.

– Convulsões sem história prévia de epilepsia.

– Deterioração da aparência física ou dos cuidados pessoais.

– Perda súbita do equilíbrio, aparecimento de machucados ou hematomas inexplicados.

– Odores não usuais no hálito, corpo ou roupas.

– Tremores, discurso incoerente, difícil ou sem coordenação.

Comportamentais:

– Perda frequente de aulas, piora importante do desempenho escolar ou da disciplina.

– Perda do interesse em atividades ou hobbies habituais, como a prática do esporte.

– Queixas por parte dos companheiros de trabalho, amigos ou professores.

– Desaparecimento frequente de dinheiro, objetos de valor, medicamentos.

– Roubo ou empréstimo frequente de dinheiro.

– Isolamento, desânimo, atitudes estranhas.

– Brigas familiares frequentes.

– Necessidade de maior privacidade, ato recorrente de ficar trancado ou a evitar contato olho a olho.

– Mudança brusca de relacionamentos, amigos ou grupo social.

– Frequentemente se metendo em confusões.

– Uso de incenso, perfume ou desodorizadores para esconder cheiro ou fumaça.

– Uso frequente de colírios para aliviar vermelhidão ocular ou pupilas dilatadas.

Psicológicos:

– Mudança não explicada do personalidade ou atitude.

– Mudanças bruscas de humor, irritabilidade ou ataques de raiva ou risos sem motivo.

– Momentos de hiperatividade ou agitação não usuais.

– Perda da motivação, incapacidade de concentrar-se, aparenta letargia ou que está “voando”.

– Aparenta medo inexplicado, retração, ansiedade, paranóia, sem razão aparente.

1. Preste atenção aos cheiros: As drogas, tal como cigarrilhas ou cigarro, têm um cheiro forte que se impregnam nas pessoas que as consomem, assim como em suas roupas. A estratégia utilizada pelos consumidores para evitar serem descobertos é aplicar repetidamente perfume, mascar chiclete e lavar as mãos de maneira exagerada.

2. Olhe para os seus olhos: Os olhos são indicadores muito claros de vícios. Cada droga em particular tem efeitos diversos. Por exemplo, a cannabis causa vermelhidão nos olhos e olhos sonolentos. Por outro lado, a cocaína e o ecstasy produzem dilatação das pupilas, com as quais os olhos se tornam muito abertos e os olhos muito arredondados.

3. Apresenta irritabilidade em excesso: As alterações hormonais em mulheres e homens geralmente causam alterações de humor, mas as geradas por drogas são frequentemente exageradas em comparação com as alterações comuns da idade. Os jovens se mostram mais irritáveis ​​e agressivos, especialmente quando não consomem drogas, porque o corpo está pedindo a droga. Eles se tornam solitários e tendem a se afastar especialmente dos pais, pois dessa forma podem consumir sem dar explicações.

4. Ele se tornou irresponsável: Um dos efeitos mais devastadores do vício é um mau hábito de largar tudo e começar a se interessar apenas pelo entretenimento. O jovem consumidor deixa de lado seus estudos e tudo o que requer comprometimento. Baixo desempenho escolar e evitar ocupar-se de tarefas que antes gostavam é motivo de alerta e pode indicar que seu filho está consumindo drogas.

O importante nessa hora é buscar diálogo franco, evitar qualquer tipo de agressão, cuidando para mostrar acolhimento e, por outro lado, total rejeição à droga.

Ao mesmo tempo, buscar orientação com pessoas de confiança, ou com quem lida com a dependência química como grupos de mútua ajuda, profissionais da área da saúde e centros de tratamento de maior prazo. E também alguém que ajude a acompanhar os passos do mesmo.

Jovens, pais e internet. Proteção dos filhos não é controle.

É fato que a internet mudou o mundo. Esta ferramenta oferece o acesso imediato a milhões de temas, facilita pesquisas, apoia a vida do estudante e traz grandes benefícios para o nosso dia a dia. No entanto, crianças e adolescentes precisam de monitoramento e acompanhamento para usufruir do mundo virtual com segurança.

Longe de pessoas mal-intencionadas, de drogas, do vício dos jogos online e da exposição ao cyberbullying.

Para isso, é importante que os pais estejam sempre atualizados, a fim de ter a habilidade para proteger os filhos dos riscos que a internet oferece. Ficar de olho na vida online dos filhos também ajuda no relacionamento com eles, pois permite conhecer hobbies, interesses e preferências, nem sempre evidentes ou conhecidos.

Teenage daughter looking at messages in a smartphone and ignoring her furious mother. Bad family communication concept by new technologies

Durante a navegação são deixados “rastros” na internet que permitem aos pais saber mais dos hábitos e opiniões dos filhos. Além disso, o cuidado e atenção dos pais vale tanto para saber se eles não sofrem ameaças na rede ou se não são causadores de divulgações incorretas.

Não existe segredo sem telefone, ou computador, não existe mentira e verdade sem o acesso a internet. Nada pior do que ser enganado por alguém da família. Não é invasão de privacidade, é cuidado, é amor. Os filhos veem de uma maneira exagerada, pois acham que os pais está passando dos limites, invadindo a sua privacidade. Já os pais como uma forma de cuidado, de proteção, uma maneira de ajudar os filhos. Os adolescentes  não sabem a imensidão do problema em que estão preste a ter em suas vidas.